how to make gifs

Ultimas Notícias:

Cidades

NOTÍCIAS POLICIAIS

MUSICA

ENTRETENIMENTO

FOTOS DE NHAMUNDÁ

Sepror prepara concursos para IDAM e ADAF com 473 vagas; edital esperado até março

Engenheiros agrônomos, veterinários e técnicos agrícolas e agropecuários têm a maior oferta de vagas; veja a distribuição dos cargos


Trezentas e trinta e oito (338) vagas para o Instituto de Desenvolvimento e Florestal Sustentável do Amazonas (IDAM) e cento e trinta e cinco (135) para a Agência de Defesa Agropecuária e Florestal (ADAF), em um total de 473 vagas, devem ser preenchidas com a realização de concursos ainda este ano. As instituições estão voltadas para a assistência técnica e fiscalização do setor primário do Estado, respectivamente.
Elas fazem parte do Sistema Sepror, coordenado pelo secretário José Aparecido dos Santos, que tem conversado com o governador Amazonino Mendes, para que os editais sejam publicados ainda no primeiro semestre de 2018, de preferência, até março.
"IDAM e ADAF são fundamentais para melhorar o atendimento aos produtores rurais na assistência técnica e na saúde pública animal e vegetal, a partir das ações de orientação e fiscalização de campo. Eles precisam de gente e os concursos públicos serão muito importantes para atender a demanda", comentou o secretário José Aparecido dos Santos.
Segundo o presidente da ADAF, Sérgio Muniz, o concurso que será realizado pela Agência que dirige tem como principal objetivo atender às exigências do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), que depois de certificar o Amazonas como área livre de aftosa com vacinação no ano passado, agora se prepara para ser certificado como área livre de aftosa com vacinação internacionalmente (no âmbito da Organização Mundial de Sanidade Animal - OIE -), o que deverá ocorrer em maio.
Em isso se concretizando, como o previsto pelas autoridades federais e estaduais, o Amazonas entraria em um outro nível sanitário animal, podendo exportar a carne do seu rebanho para vários países, que tenham reciprocidade sanitária com este status.
"Nós estamos bem avançados com o nosso trabalho de campo nesta área, mas precisamos de mais profissionais para atender toda a demanda do Estado, por isso o concurso é decisivo. Com ele, conseguiremos a certificação internacional", comentou Muniz. O edital do concurso será enviado para a Assembleia Legislativa ainda em fevereiro.
O presidente do IDAM, Luiz Herval, também está mobilizado para realizar o concurso de sua instituição. Segundo ele, "o IDAM há 22 anos não faz um concurso e a realização de um, este ano, abrindo 338 vagas, representa um salto de qualidade para o setor e de novos profissionais atuando na ponta, especialmente, junto  aos produtores da agricultura familiar", afirmou Luiz Herval.
Dispensa
Em 26 de abril, aproximadamente 172 profissionais dos quadros do IDAM devem sair, em função do término de contrato de dois anos, um desfalque humano que poderá afetar a instituição se não houver reposição praticamente imediata.
"O concurso é a alternativa mais válida, porque não corremos o risco de preparar os profissionais com investimentos em treinamentos e depois perdê-los para o mercado, em decorrência do desligamento deles. A segurança do concurso público ajuda toda a cadeia produtiva, que precisa de uma assistência técnica permanente no interior, onde atuamos em todos os municípios", frisou Luiz Herval.
Fiscalização
O concurso na ADAF será para 93 técnicos em agropecuária, 30 médicos veterinários e 12 engenheiros agrônomos. A agência é responsável pela fiscalização nas barreiras sanitárias nas fronteiras do Estado e desenvolve um trabalho de monitoramento sanitário em todos os frigoríficos, abatedouros e similares. Ela conduz a vacinação do rebanho bovino e participa das principais ações do MAPA no Amazonas.
Em números
Dos 338 profissionais que o IDAM precisa 30 vagas serão para engenheiros agrônomos; engenheiros de pesca 18; engenheiros florestais 6; engenheiro mecânico 1; engenheiros ambientais 3; engenheiro de alimentos 1; médicos veterinários 9; assistentes sociais 5. Técnicos de nível superior: analista de sistema 1; nutricionista 1; zootecnistas 2; contador 1; e outra especialidade técnica 1.
Nível médio são 62 técnicos agrícolas; 24 técnicos florestais; e 23 técnicos de pesca. Há, também, extensionistas sociais 21; e assistentes técnicos 36.
Nível fundamental são auxiliar administrativo 1; auxiliares operacionais 6; auxiliares de serviços gerais 13; motoristas 24; motoristas fluviais 10; e vigias 39.

Antônio Ximenes Manaus

OBRIGADO PELA VISITA!